domingo, 16 de novembro de 2014

É muito presidente para uma Câmara só


Em tempos normais, uma Câmara de vereadores tem 1 presidente a cada 2 anos. Jequié é um caso à parte: já teve 3 neste biênio e poderá chegar a 4 antes do fim do ano.

No começo da atual legislatura, José Simões (PP) foi eleito com 14 dos 19 votos para a 1ª presidência. Afastado pela Justiça três meses depois, foi sucedido pelo vice Josué Menezes (PTC), que comandou a Casa por 6 meses, na 2ª presidência do biênio.

Simões retornou em setembro de 2013, reiniciando a primeira presidência. Tentou reeleger-se em julho de 2014. Foi vencido pela saúde e pelos colegas.

Em uma eleição marcada por manobras, depois da ausência de toda a Mesa Diretora, Eliezer Fiim (PDT) foi declarado presidente eleito, com o voto dos 12 vereadores remanescentes na sessão, mesmo sem amparo regimental. Iniciava-se a 3ª presidência. Sim, porque a expectativa da posse já influencia diversas decisões políticas. Fiim não tem a caneta, mas tem poder.

Está demais, leitor? Pois saiba que poderemos ter a 4ª presidência numa única gestão! Se a eleição de julho for anulada, como parece que será, e se nenhum dos 3 presidentes for eleito, aí teremos a 4ª presidência. Sem caneta até 1º de janeiro, é verdade, mas com muita influência. Mais influência do que Fiim, porque desta vez, espera-se, não haverá mudanças. A transição ocorrerá normalmente. As decisões do novo presidente serão pra valer.

Isso, claro, se o futuro não nos guardar mais surpresas. Não convém duvidar.

James Meira

Nenhum comentário: