sábado, 12 de outubro de 2013

Governo Tânia: realidades e perspectivas

A administração da prefeita Tânia Britto está no décimo mês e ainda não conseguiu atender às expectativas dos jequieenses. Os 75% de votos válidos obtidos nas urnas em outubro de 2012 não são suficientes para segurar a onda de rejeição por que passa o governo. Como diz o ditado, "a quem mais é dado, mais é cobrado." No caso da prefeita, as cobranças vêm de todos os lados. Opositores e governistas nunca estiveram tão próximos quanto ao discurso assumido em relação à Administração Municipal.

Contra fatos não há argumentos, e é fato que o governo não vai bem. Mas também é fato que já esteve pior, o que significa que está melhorando. Saúde e educação, as áreas mais atingidas pela falta de investimentos, dão sinais de reabilitação. Basta verificar como estavam as escolas e postos de saúde nos primeiros meses do governo e como estão agora. Faltava tudo. Hoje ainda falta, mas bem menos. Por óbvio, não se pode arrumar a casa inteira de uma só vez.

Notem bem: esse estado de coisas não é responsabilidade apenas da atual gestão. Problemas administrativos de governos são parecidos com problemas administrativos de famílias e empresas. Leva-se algum tempo para ajustar contas desequilibradas, como foram as de Luiz Amaral. A questão é saber o que está sendo feito para se chegar ao equilíbrio.

Pelo que sei e pelo que vejo, a prefeita trabalha dedicadamente todos os dias a fim de destravar a administração. Acredito nela. Aliás, acreditei nela nas duas últimas eleições. Numa perdemos e continuei junto. Noutra vencemos, e não há por que engrossar o coro dos decepcionados nesse momento, com menos de um ano de governo. Não consigo enxergar uma Tânia enganadora, como ouvi de alguns agora ex-tanistas. Vejo a mesma Tânia de sempre, com suas virtudes e limitações. Virtudes, quando de índole, não se perdem, mas as limitações podem ser superadas.

Sei que não será fácil. Há uma grande torcida organizada para que o governo desça a ladeira sem freio. É a única maneira de provar suas previsões catastróficas. Como não sou afeito a torcidas organizadas, pelo costume de acobertarem criminosos, estou torcendo por Tânia e por Jequié.

James Meira

5 comentários:

Eliseu Marques disse...

Parabéns pelo artigo, James. Apesar de não conviver na realidade de vocês, observo que os problemas na administração pública se repetem por todo o Brasil.

Eliseu Marques disse...

Parabéns pela postagem, James. Apesar de não conviver em seu município, observo que os problemas na administração pública se repetem por todo o Brasil.

Anônimo disse...

esse governo não tem jeito a prefeita não manda em nada. ela é mandada. então não se iluda é dai pra pior. agora gente que ganhou algum da administração ai tem que defeder mesmo

James Meira disse...

Obrigado, Eliseu. De fato, são problemas corriqueiros aqui e acolá. Espero por melhoras. Abraço.

James Meira disse...

Meu caro Anônimo, claro que discordamos quanto à pessoa da prefeita. Acho que ela manda sim. Mas não nego o conflito de autoridade no mandato. No entanto, parece-me que a prefeita está cada vez mais na dianteira da Administração. Vejo melhoras e não retrocesso.